Pais ‘vendem’ recém-nascido para pagar a conta do hospital

Este caso está gerando uma onda de revolta em todo o mundo, a história deste casal que precisou ‘vender’ o bebê recém-nascido para pagar a conta do hospital onde a mulher deu à luz é desumana.

De acordo com o portal de notícias online da revista Marie Claire, o nascimento do sexto filho de um casal, moradores na cidade de Agra, localizada no norte da Índia se tornou um grande pesadelo.

Shiv Charan e a mulher Babita (Foto: Reprodução)

Shiv Charan e sua esposa Babita vivem em condições muito difíceis, por causa da pandemia da Covid-19, o pai da criança perdeu a única fonte renda da família.

Babita, de 36 anos, precisou passar por uma cesariana, no último dia 24 de agosto, a conta do hospital ficou em 35 mil rúpias indianas que equivalem a 2,6 mil reais, porém, a família não tem condições de pagar as despesas.

Shiv e a esposa não sabem ler nem escrever, eles afirmam que foram manipulados pelo hospital para vender o bebê para uma possível adoção, pelo valor de 100.000 rúpias, cerca de 7,4 mil reais.

“Colocamos impressões digitais em todos os documentos, conforme solicitado pelo hospital”, disse Shiv ao Times of India. “Não recebi papéis de alta, contas ou quaisquer outros papéis”, completou.

Segundo a imprensa local, hospitais da região já foram denunciados por coagir pais carentes a derem seus filhos recém-nascidos em troca de dinheiro. O casal está contando com o auxílio de ativistas dos direitos humanos.

O gerente do hospital Seema Gupta, afirmou que o bebê jamais foi comprado e que a família entregou por livre vontade a criança para a adoção.

LEIA TAMBÉM:

Jovem fica entre a vida e a morte após ataque homofóbico: “sap#tão do inferno”

Bolsonaro está doente:

Jovem fica entre a vida e a morte após ataque homofóbico: “sap#tão do inferno”

Fonte: Marie Claire

Escrito por Fabiana

Jornalista Web, compromisso com a verdade, criação de conteúdo de qualidade. Experiência nos mais diversos nichos, como por exemplo, TV e Famosos, atualidades, política, decoração, universo feminino, saúde, qualidade de vida, entre outros.